Onde Tudo é Nada... E o Nada é Tudo

Sábado, 12 de Abril de 2008
Tentativa de Homicidio Extrafisico

Boa Noite, Caros Amigos.

Não estranhem o titulo mas é mesmo esse e quer dizer isso mesmo. Eu fui vitima de uma tentativa de homicídio extrafísico . Verdade? Mentira? Fantasia? Imaginação? Invenção?

Vou contar-vos a minha historia, daquilo que me recordo e que mais me marcou, mas vamos pelo inicio de como tudo começou.

Já há uns dias que andava a sentir-me esquisito, estranho, as coisas não corriam bem, tudo parecia andar as avessas. Problemas em casa, no trabalho, insatisfações com toda a gente.

Todas as tardes (as vezes noites) quando chegava a casa e me dirigia ao quarto para mudar de roupa tinha uma sensação de que alguém me vigiava, havia uma presença ali que não conseguia ver mas sentia. Sentia que não estava sozinho no quarto mas só me via a mim e mais ninguém . E vinha a minha mente um nome, uma pessoa, que já morreu ia fazer um ano.

Estranho, como é que eu tinha essa sensação? seria pelo facto de muitas das vezes não acender as luzes de acesso ao quarto? (sempre tive um pouco de medo do escuro, diga-se já), e porque essa pessoa e não outras que eu conhecia e já haviam morrido?

Bom, os dias foram passando, uns piores outros menos piores, chatices cada vez maiores no trabalho, antagonismo com os colegas.

Passou a Pascoa e no fim de semana seguinte fui até a aldeia, fui assistir a missa de ano da minha Mãe. No domingo (dia 30)  viemos para baixo, a viagem correu calma. A noite vi os golos

na TVI e antes do fim do programa fui me deitar. Aqui começa o mais estranho. Logo cai no sono, um sono profundo que durou até cerca das 3 ou 3,30, acordei, abri os olhos e deslumbrei o quarto iluminado pelo mostrador do radio relógio . Deitado parecia-me sentir a presença de varias pessoas (entidades, conscie's , espíritos ou como quiserem chamar) a minha volta, fechei os olhos e deixei-me estar. Devo ter adormecido logo pois comecei a sonhar, ter visões estranhas. Não sei muito bem explicar mas estava num lugar grande, escuro e acompanhado de muitas pessoas a quem não via a cara, só os vultos, homens e mulheres, altos e baixos, gordos e magros, conseguia distinguir as suas silhuetas. Parece-me que vagueei ou viajei por lugares que não me recordo, mas sei que não era o meu quarto. De repente vejo-me cercado por um grupo de pessoas, sim pessoas, mas eu não as conhecia, pareciam-me familiares mas não consigo dizer se sim ou não. Começamos a discutir, uma troca de palavras sem fim, eu era acusado de não sei o que, sei que era cada vez mais apertado naquele circulo pelas pessoas que ali estavam, cada vez mais juntos e eu tentava argumentar contra elas, cada vez mais tentava defender-me mas não sei do que. As tantas uma das pessoas destaca-se dos outros, aproxima-se de mim, era mais baixa e de repente essa pessoa sofre uma transformação enorme, (transforma-se como numa daquelas feras de filmes de terror) e salta para cima de mim. Dou por mim deitado na minha cama, a minha dormindo ao lado e em cima de mim estava aquela criatura tentando, sei lá, me matar, aleijar, cortar, possuía umas espécies de patas com umas garras enormes, um focinho de lobo com orelhas espetadas, todo peludo. Agarrei-lhe nas patas para que não me tocasse e tentava a todo custo afasta-lo mas o seu peso era enorme e eu não conseguia até que ele chegou mais perto, parecia que o seu focinho estava crescendo e de repente abre uma boca enorme cheia de dentes enormes, uns caninos como nunca tinha visto e tenta apanhar-me o rosto mas coloquei as suas patas a sua frente. Como não conseguia morder-me na cara fez uma tentativa e vendo a resistência que lhe fazia mordeu-me no ombro esquerdo, cravou toda a sua boca no meu ombro esquerdo e começou a apertar, a dor era enorme, comecei a gritar e sempre a agarrar-lhe as patas tentava afasta-lo mas não conseguia, vi a sua boca cheia de sangue, os dentes pingavam.

Nisso acordo, na minha cama, deitado de barriga para cima com os braços dobrados e virados para cima, com os punhos cerrados e fazendo uma enorme força, sentia uma violenta dor no ombro, uma dor como se tivessem espetado facas nele. A minha primeira reacção foi verificar o ombro, passei-lhe a mão e não tinha sangue, a minha mulher ainda dormia, a dor era enorme, sentia ainda algumas presenças no quarto, acendi a luz do candeeiro e sentei-me na beira da cama, doíam-me as costas, levantei-me e fui a casa de banho. Quando voltava para a cama olhei para o relógio e eram quase 5,00hs , o meu corpo todo tremia e estava a transpirar, deitei-me novamente e comecei a pensar no que me tinha acontecido tentando rever as imagens e perceber o que se tinha passado mas só me lembrava da "besta" e da dor que me tinha causado, dos dentes cravados no meu ombro (que ainda doía e muito). Pensei: - Foda-se , aquela besta queria me matar, quem eram aquelas pessoas? porque não me lembro daquelas caras? mas o que queriam comigo? virei-me para o lado e dormi até tocar o despertador.

Pois é meus Amigos, foi isto que me aconteceu e que até hoje ainda me deixa meio aparvalhado, como e porque isto me aconteceu. Ainda sinto sempre uma presença estranha, presente, mas não consigo ver quem é, as coisas parecem que vão melhorando aos poucos no trabalho e em casa, lentamente mas vão.

Se alguém puder ajudar-me e dizer-me o que afinal se passou eu agradecia, pois não sei o que aconteceu e gostaria de saber. Se existe alguma maneira de afastar esta presença que sinto, algo com que faça que desapareça para sempre. Se alguém souber duma maneira que me diga como. Muito Obrigado.

 Muito Obrigado.

 

 

 


sinto-me:

publicado por casadegentedoida às 21:29
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quarta-feira, 2 de Abril de 2008
Extrafísico - Ainda não foi desta

Realmente a coisas mesmo do outro mundo. Vim de fim de semana com algumas ideias para publicar mas os planos foram, por assim dizer alterados.

Passei por uma experiência extrafísica (como diz o Meu Amigo Zorze ) um pouco aterradora.

Já há alguns dias que não me sentia bem, não sabia porque, as coisas não corriam (nem correm) de feição, parece que dou um passo em frente e dois para trás.

Sempre fui uma pessoa crente nestas coisas de espíritos , espiritismos, almas penadas, coisas do outro mundo, acredito e respeito, sei que podem fazer o bem ou o mal, depende da maneira como os tratamos, reagimos, enfrentamos, se estamos carentes ou não.

Mas esta experiencia não me sai da cabeça e antes de relata-la aqui primeiro vou falar com alguém que me possa orientar sobre o que se passou e depois logo se vê .

O mundo dos espíritos existe, podem mesmo acreditar os mais cépticos , não sejam como São Tomé (ver para crer), para a maioria das pessoas é impossível ver ou sentir mas eles estão aí, bons ou maus, eles estão aí.

Até lá portem -se bem.

Abraços a Todos.

 


sinto-me:

publicado por casadegentedoida às 23:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Contador
conter12
posts recentes

Tentativa de Homicidio Ex...

Extrafísico - Ainda não f...

links
arquivos

Dezembro 2016

Novembro 2016

Agosto 2016

Maio 2016

Abril 2016

Janeiro 2016

Julho 2015

Maio 2015

Março 2015

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Julho 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Junho 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds