Onde Tudo é Nada... E o Nada é Tudo
Quinta-feira, 30 de Julho de 2009
35 HORAS

Os funcionários públicos portugueses são os que trabalham menos na União Europeia (35 horas), revela um estudo do Eurofund, divulgado pelo "Jornal de Negócios."  

 

A falta de produtividade nacional já não é novidade, mas será pelo tempo de trabalho? Segundo um estudo do Eurofund, Portugal e França têm os funcionários do Estado que trabalham menos horas por semana na União Europeia. Em 2008, estes funcionários trabalharam em média 35 horas, enquanto no resto da região a média foi de 38,3 horas semanais, mostra o estudo, citado pelo "Jornal de Negócios."

Em Portugal, o tempo de trabalho na Função Pública fixa-se em 35 horas semanais, segundo a lei, mas desde a entrada em vigor do Contrato de Trabalho em Funções Públicas há a hipótese de alargar o horário, mediante o acordo dos sindicatos e o respeito de determinados limites.

Áustria, Luxemburgo e Suécia estão entre os países onde os funcionários públicos trabalham mais, registando uma média 40 horas semanais. Por seu turno, no fim da tabela, a seguir a Portugal e França, surge a Holanda e a Itália, com 36 horas por semana.

(Fonte: Expresso 29/07/2009)

 

Foi com grande admiração que ouvi a primeira vez esta notícia, na rádio. Será que estava ouvindo bem? Até aumentei o volume para ouvir melhor e desatei as gargalhadas. 

Como é que eles chegaram a essas conclusões? É um mistério.

Depois comecei a indagar: como é que calcularam as 35 horas?

Devem ter feito, se calhar, assim: 5 dias vezes 7 horas por dia=35horas.

Então eles não almoçam? (conta como trabalho); aqueles 15 min. de manhã p/ o café? aqueles 15 min. à tarde p/ o café? as idas a casa de banho para retocar a maquilhagem ou coçar os tomates? (tambem contam como trabalho).

Será que as idas ao Banco para tratar de assuntos pessoais tambem contam como trabalho? Será que a ida ao mercado municipal comprar fruta ou peixe ou hotaliças, dvd's piratas tambem contam? Será que levar os putos a natação, ou a ginástica ou ao futebol tambem conta como trabalho?

Será que as idas ao massagista (aos pares) tambem conta como trabalho?  

O chegar tarde porque a queca da manhã demorou mais que o previsto tambem conta?

Voces devem estar a pensar: "Este gajo tá a inventar".

Não meus amigos, não estou não, é a dura realidade da vida dum funcionário publico.

Noutro dia, durante uma conversa com a "D. Emilia" (que se queixava de ter muito trabalho) mandei-lhe a indirecta dela andar as compras no Pingo Doce durante a parte da manhã. Sabem qual foi a resposta dela: "Parvo é aquele que não aproveita a vinda a rua para tratar dos seus assuntos pessoais". "A hora de saída é sagrada e é para ir para casa tratar da família". Ora toma!

Pelos vistos os senhores do Eurofund não andam a fazer bem as contas, esqueceram-se de dizer que são poucos os que cumprem as 35 horas de trabalho, para o resto são 35 horas virtuais, pois virtualmente não as cumprem todas.

São poucos os que ficam depois da hora para recuperar serviço atrasado ou acabar o serviço que receberam durante o dia.

Como podemos querer que isto vá para a frente? que os tribunais despachem os processos? que não haja filas nas repartições ou nos bancos?

Com este tipo de mentalidades, com este tipo de atitudes é dificil que os funcionarios puiblicos sejam reconhecidos como pessoas capazes e produtivas.

Assim para que não haja trabalho em atraso para eles resolvi ajuda-los. Entrego o meu IRS pela internet; pago o antigo selo do carro pela internet, pago agua e luz, seguro automovel, tv cabo por debito directo, corto o mato ao lado da minha casa (o terreno até nem é meu), marco consultas para o centro de saude pela internet, não coloco processsos a ninguem para não entupir os tribunais (50% dos processos que lá andam é tudo parvoices), enfim quanto menos lido com eles, melhor. Para Todos.

Fiquem Bem e Abraços.

Isto é mesmo uma casadegentedoida.  


sinto-me:

publicado por casadegentedoida às 23:06
link do post | comentar | favorito

7 comentários:
De Ana Camarra a 2 de Agosto de 2009 às 14:04
Por cada D. Emilia que conheces ao vivo e a cores existe uma Ana que conheces virtualmente que trabalha muito mais que as 35 horas e que assume ser funcionária publica com FUNCIONAR PARA O PUBLICO!
As generalizações são complicadas acabam por ofender as pessoas que não se encaixam nelas, podes me explicar qual o sector privado onde não exitstem D: Emilias mais ou menos dissimuladas?
Imagina que escrevo um post achando que todos os católicos são pedófilos partindo de meia dúzia de exemplos que conheço, que achavas?
Era injusto, no minimo...
Eu sou funcionária publica desde os 19 anos e sempre me fartei de trabalhar....
Não gneralizes, também conheço dois bancários que ardilosamente sacavam dinheiro de contas de clientes...

beijos

(não estou zangada!)


De casadegentedoida a 2 de Agosto de 2009 às 18:37
Ana, não levo nada a mal, aliás enquanto conheces 2 eu posso dizer que conheço muitos mais. Em todo o lado existem as D. Emilia's , o que me chamou mais a atenção no artigo em causa foi o facto de que já há uns anos atrás eu ter feito o mesmo tipo de analise e fui muito criticado por o ter feito, que as coisas não eram assim. E agora vem um organismo externo e faz a mesma analise e que tipo de manifestações é que temos? Quem é que veio para a rua protestar? Que eu saiba não vi ninguém Quando nós cá dentro criticamos somos logo enxovalhados mas quando alguém de fora nos enxovalha o que fazemos? metemos o rabo entre a pernas e fugimos de cena. Pode ser que qualquer dia te conte quem são as intervenintes do texto. O Zorze tambem as conhece e bem. Bjs


De Zorze a 5 de Agosto de 2009 às 22:41
A Ana, tá zangada, puxa! Defende a sua dama.
E tem razão no que diz e sabendo que ela sabe que isto funciona mal, por isso não entendeu o espírito do post, que focava um estudo que visava apenas os funcionários públicos.
Todos nós sabemos que há excelentes funcionários públicos que mais do que as horas de trabalho se dedicam de corpo e alma à causa pública.
E a Ana é um exemplo disso. Se mais Anas como a que conheço houvesse neste País, Portugal decerto estaria muito melhor.

Agora a ideia que o post me transmite é a realidade deste País de merda, de um povo mesquinho e hipócrita, mal educado e de pouca formação. Conformado e que pouco se esforça para adquirir formação.
A questão das horas de trabalho em Portugal é um assunto tabu. Existem aqueles que com baixa escolaridade ou os que não tiveram a sorte de arranjar um "emprego" tem que se sujeitar ao patrãozinho português e trabalham quase como escravos. Os que tiveram a sorte de arranjar um "emprego" são os melhores especialistas em dizer que trabalham muitas horas.
Andam durante o dia para um lado e para o outro. E no final do dia tudo espremido é quase igual a zero.

As pessoas perguntam-se porque é que Portugal é apontado como um dos países mais pobres da Europa?
E todos ficam espantados. Porque será? Espantam-se os inocentes.
Eu diria que bastava olharem-se ao espelho.
A juntar uma classe política incompetente, um empresariado fraco a nível de conhecimentos de gestão organizacional e um povinho meio estúpido que mal sabe falar, que não consegue interpretar o que vê na televisão e o que lê nos jornais, aí está a resposta porque seremos sempre a cauda da europa.
Enganar o fisco é esperteza e motivo de orgulho.
Trabalhar tá quieto.
Socialmente entre si vigarizam-se uns outros, dentro da família ainda pior.
Educação para esta gente é dizer Bom-Dia antes do meio-dia, não dizer asneiras ou pôr os talheres do mesmo lado quando acabam de comer.

Espetar uns borrachos no focinho da mulher já é normal.
Quando estão dentro de um carro, passam a ser corajosos e vociferam contra tudo e todos.
Mães que deitam os bébés no caixote do lixo (gostaria de ver este índice de vergonha num contexto europeu).
Reclamam por tudo e por nada, esquecem-se sempre dos seus deveres.

O mais grave disto, é que isto é a maioria.
Povo de brandos costumes? Ainda há quem acredite no Pai Natal.

Abraço,
Zorze


De casadegentedoida a 6 de Agosto de 2009 às 00:37
Amigo Zorze , analisaste bem, a ideia aqui não é denegrir a imagem do funcionário publico que trabalha mas mostrar que existe uma realidade que todos conhecem mas escondem. Quem paga? quem trabalha. Se dei a entender que todos são assim, peço desculpa, mas não foi isso. Nos outros países também existem muitas "D. Emilia ". De certeza que a Amiga Ana conhece exemplos desses, sejam do PS (principalmente agora que estão no poder), PSD, CDS ou CDU. Por força das circunstancias ouço muita gente que durante o dia se queixa, muitos até sei que sem razão , mas depois é a imagem que vem cá para fora. Aparece um estudo destes e que pensa a população?
No meu local de trabalho também se passa o mesmo, somos considerados uns calões, se atendemos ao telefone, estamos a falar com a namorada, se vamos tirar uma fotocopia é logo, já vai a casa de banho, se a outra pessoa não se vai embora é porque estamos a dar musica. Enfim, depois há os que saem a horas certas e os que ficam, e os que ficam são os que se lixam.
Em todo lugar é assim. pode ser que o próximo post corra melhor.
Saudações.



De Rute Rocha a 7 de Agosto de 2009 às 23:00
Boa noite

Ao ler o seu post não pode deixar de ficar com alguma indignação na forma rude com que fala. Para mim nós não "evoluímos" por causa de políticos incompetentes ou empresários fracos a nível de conhecimentos de gestão organizacional, ao menos esses tentam fazer alguma coisa por eles e de alguma forma contribuem para o desenvolvimento de país, e você com que ajuda? A trabalhar por conta de outrem? Simplesmente a fazer o que os outros lhe mandam? Outros esses que tiveram a coragem para investir e lutar por algo que pode ser deles? São essas pessoas motivadas pelo seu auto-interesse que promovem o crescimento (Já Adam Smith assim o dizia). Criticar é fácil, todos nós sabemos, difícil é ter iniciativa própria, e não ser apenas ovelhas num rebanho que vão todas pelo mesmo caminho.

No que diz respeito a políticos incompetentes que só se preocupam com eles próprios, isso meu amigo, não é mal só de Portugal, fácil é recordar os "escândalos" de Inglaterra ou Itália.

Relativamente a sermos dos países mais pobres da Europa isso não é bem assim. Estamos em cerca de 33º lugar no ranking de desenvolvimento humano dos países da ONU, tendo em conta que a Europa tem cerca de 50 países e a ONU com quase 200 países, acho que estamos muito bem classificados. Não se pode comparar Portugal a países como a França, Inglaterra, Alemanha, isso sim é que demonstra alguma incompetência, são países com uma cultura, nível de vida, historia (etc) completamente diferente da nossa, qualquer comparação seria à partida enviesada.

Relativamente maus-tratos com certeza países mais desenvolvidos apresentam taxas mais elevadas, contudo dado não ser da minha área nem ter números para falar não posso confirmar.

Se acha que Portugal é um “País de merda” porque não se muda? Estamos num país livre, por isso se não está aqui bem, pode sempre emigrar com certeza irá ser muito vem recebido num país em que os políticos não são incompetentes nem a classe empresarial inculta e com certeza que terá imenso sucesso por essas bandas. Assim era da maneira que daria o seu lugar a alguém que goste do seu país e que contribua para a sua melhoria.

Para mim o grande mal de Portugal são as pessoas que apenas criticam e não tomam iniciativa. Mas o que sei eu? Tenho apenas 23 anos, e a minha maior preocupação é viver a minha vidinha sem que ninguém me incomode.

O Meu objectivo não é ofende-lo pois se fosse seria mais directa e não estava para aqui a escrever isto tudo.Simplesmente adoro o meu país e quando acho que alguém é mal agradecido por aqui viver “revolto-me”.

Para finalizar e comentando das 35h de trabalho da função pública, o que digo é que há alguns anos era o trabalho ideal para quem quisesse fazer pouco, hoje em dia já não é bem assim. E além do mais não é o número de horas que se trabalha que importa mas sim o que se faz nessas horas. É lógico que existe de tudo, quem trabalhe e quem não trabalhe, quem seja bom naquilo que faz e quem apenas seja mediano, o problema é que por culpa de uns pagam outros.

bom fim semana

Rute Rocha


De Ana Camarra a 9 de Agosto de 2009 às 22:02
Decididamente tens de te expressar melhor!
Há uma coisa que me faz uma confusão desgraçada, por esse mundo fora os portugueses são considerados optimos trabalhadores, será que só funcionam mal cá?
Depois ocorrem-me outras coisitas, cá em Portugal muitas vezes são premiados e muito os incompetentes, quem trabalha muito por vezes é rebaixado, os salários, sim porque quem vende o seu trabalho é em troca de um salário, são ridiculos.
Isto por vezes leva a desmotivações.
Isto não é desculpar ninguem, a minha forma de ver as coisas é que faça eu o que fizer tenho de o fazer o melhor possivél, coloco nisso todo o meu empenho, seja no ponto de vista do trabalho, das causas que abraço, no ponto de vista das relações pessoais também.
Não fiquei zangada contigo, mas sim fiquei melindrada, magoada...



De casadegentedoida a 10 de Agosto de 2009 às 21:57
Ana, vou tentar escrever melhor, isto do acordo ortográfico por vezes dá azo a más interpretações daquilo que realmente queremos dizer. Respondendo a tua pergunta: os portugueses são óptimos trabalhadores lá fora realmente. Lá sujeitam-se a tudo e aqui não; lá trabalham 16 horas por dia e aqui não o querem fazer; lá fora fazem trinta por uma linha para agradar o patrão para poder ficar mais um ano; lá são tratados como bestas de carga e não reclamam. Vais dizer, claro, que lá pagam melhor, por vezes n«ão é bem assim pois há emigrantes que se fizessem aqui o que fazem lá ganhavam o mesmo e não ficavam longe da familia. E posso dizer com conhecimento de causa pois tive 3 primos nessa situação, na Alemanha,numa gelataria, o horario era das 7.30hs ou 08.00hs até a uma da manhã, com um dia de folga por semana. Ganharam dinheiro? sim, mas tambem saiu do corpo, eles lá reclamam. O mesmo se passa com os que vem para Portugal, lá são calões e aqui bons trabalhadores. Depois há o marketing, vai-se elogiando, elogiando, e eles vão trabalhando, trabalhando pelo mesmo preço. Aliás isso aqui tambem acontece.Não quero que fiques chateada ou melindrada ou magoada, as D. Emilia's existem em todos os locais de trabalho, umas chamam-se Candidas, outras Manuelas, outras Maria João, outros Jaime, ou Nelson e sei lá que nomes mais há. Já os incompetentes, não os chamaria assim mas graxistas e bufos, pois nisso são muito bons , excelentes até e premeiam-se entre eles. Enfim, acho que alonguei demais o texto.
Não te chateies, quando me portar mal chama-me a atenção s.f.f.. Ok?
Bjs.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Contador
conter12
posts recentes

Dia Mundial do Riso ou Di...

Amigos e amigos.

Feliz Ano Novo de 2017!!!

Mudança!

Deus repara coisas...

Uma gargalhada...

Porque é que depressão ma...

Dia da Mãe e Dia do Traba...

Motivação

Ano Novo!

links
arquivos

Janeiro 2018

Dezembro 2016

Novembro 2016

Agosto 2016

Maio 2016

Abril 2016

Janeiro 2016

Julho 2015

Maio 2015

Março 2015

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Julho 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Junho 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds